sexta-feira, 11 de abril de 2008

Coita D'Amor esgota todas as sessões!

Neste momento é possível adiantar que todas as sessões estiveram esgotadas, pois as de hoje e amanhã estão practicamente, o que levou o Contrasenso a pensar em fazer algumas sessões extra, mas devido a questões de agenda só se poderão realizar depois de 21 de Junho.
Até lá, ainda existem alguns bilhetes para a sessão de hoje, sejam rápidos a garantir o vosso lugar, o Grupo de Teatro Contrasenso dará o seu melhor para corresponder à confiança depositada.
Fica aqui um resumo da história da peça, aos que nos vão ver este fim de semana desejamos um excelente espectáculo, aos restantes ficamos a aguardar o reencontro neste Verão.


Coita D' Amor


"Uma comédia Medieval cantada e lamentada..."

Donzilia Resende é a Dama Medieval, figura sobre a qual se desenrola toda a acção. Vive na esperança de reencontrar o seu amado que partiu para a guerra, lamentando a sua dor escrevendo cantigas de amigo e de amor. Desencaminhada pela sua prima, acaba por descobrir os prazeres das bailias e quando o seu amor retorna este já foi traído. Tenta conciliar as suas paixões, mas logo os amantes acabam por descobrir a sua intenção de coleccionar todos aqueles que por ela se apaixonam.
Esta peça estreou em 1993 no Liceu D.Dinis, berço do Grupo de Teatro Contra-Senso.Inicialmente a peça era composta por um só Acto que terminava quando Donzilia Reencontrava Honório. No ano seguinte Miguel Mestre decidiu acrescentar mais um Acto a este grande sucesso, criando assim a Coita D’Amor parte II, um prolongamento da peça original. O sucesso estava instalado e no ano em que o elenco abandonou o Liceu foi feita a Terceira e última parte, resultando na obra completa que é hoje Coita D’Amor. Aquando das celebrações do 10º aniversário do CS, Miguel Mestre decide desenterrar a peça que mais vezes foi apresentada por este Grupo, já esquecida desde 1997, e acrescentar-lhe mais elementos musicais, bem como uma reestruturação dos textos.
Autoria e Encenação:
Miguel Mestre

Elenco:

O Anjo da Guarda: Ruben Reis

A Família:

Donzília: Paulinha

Azemira: Marta Carvalho

Lianor: Lú

Mariana: Marlene Fonseca

Os Amantes:

Aparício: Nuno Aranda

Honório: Gonçalo Henriques

Pagem: Ruben

Paulino: Hugo Almeida

A traída:

Serafina: Sandra Mestre

O Coro:

Coretes: Raquel Santos, Raquel Silvestre, Anabela Silva, Joana Anselmo

A Mãe de Santo:

Guilhermina: Santinho
Luzes e Som:
Sebastião e Cordeiro

3 comentários:

Rita Gouveia disse...

Boa noite! ontem fui pela primeira vez assistir a uma peça por vós feita e simplesmente adorei...
Estiveram todos "espetacularmente" bem.

Sandra disse...

Olá a todos! Passei para vos dar os parabéns pelo espectáculo de sábado, estiveram todos muito bem...
Aguardo pelas resultados das votações...
Já agora aqui no blog, nas votações para a vossa melhor peça porque não se encontra lá a "Simbiose"?

Beijinhos e cumprimentos teatrais
Sandra

Anônimo disse...

Esta foi a primeira peça que vi e fiquei fã. Espero que continuem a investir no Teatro porque voces são bons! Uma agradavel surpresa no teatro amador feito em portugues. Muita força e muitos parabens.